Saturday, March 10, 2007

Agora Sim Camarada!


Quis conter a lágrima mordendo o lábio.
Quis tossir para disfarçar a voz que tremia.
Quis esconder aquilo que ela já tinha percebido.
A única coisa que consegui dizer: "Ela é linda não é?!"
Olhei para ti e também tu tinhas os olhos molhados. Percebemos naquele momento que nada será como dantes.
Senti-me mulher em todo o meu esplendor, e senti-te minha.

Minha camarada, minha aliada, minha companheira de luta!
Obrigada por tudo. Pelo exemplo, pela luta diária e pela demonstração de força e de vida.

Tuesday, February 06, 2007

Ministro da Economia = Prof. Fernando Araújo

Para quem pensava que as únicas pessoas que atentavam contra os direitos dos trabalhadores eram os senhores sentados no centro e na ala direita da Assembleia da República, com a ajuda do "sábio" ministro da economia,deixem-se de enganos.
Estas são as palavras de um professor catedrático da faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, quando estava a leccionar a cadeira de Economia Política : "Os desempregados são como um banco de suplentes".
Uma vez que ele referiu isto existe algum tempo, só me resta chegar à conclusão de que o ministro da economia é apenas a consagração do derrube total das conquistas feitas pelos trabalhadores (lembro que ele também escreve que a fixação de um salário mínimo é um exemplo de uma má intervenção do Estado).
São estes os nossos intelectuais que colocam os seus preciosos livros a um preço perto de 50€, são estes que devemos citar nos nossos testes, são estes os que nos perseguem, são estes que nos exploram, são estes que nos tiram a liberdade aos poucos, são estes que devemos combater.

Grandes Portugueses

A ideia não é original e também não é boa.
O que tem que se perceber é que nem tudo o que se faz lá fora tem de ser obrigatoriamente importado cá para dentro. Vejamos o caso do programa "Grandes Portugueses".
Em Inglaterra ganhou o senhor do charuto, da guerra e da barriga, num país que teve Shakespeare. Então mas um homem que tem a cobardia de fazer uma guerra pode ser, e é esta a ideia que o programa dá, superior a um outro que inspira milhões de pessoas em todo o mundo? Em Portugal, o caso não é muito diferente. Estamos a ser levados a decidir se D.Afonso Henriques é melhor ou pior português que Salazar, entre outros.
Conhecidas as minhas posições ideológicas, até podia votar no Álvaro Cunhal, mas não o faço. Se algum daqueles homens foi um "grande português" , certamente não o foi sozinho e teve sempre alguém por detrás deles; quer fosse um povo, quer fosse uma polícia repressiva.

Sunday, September 17, 2006

Numa tarde em que o Sol aquecia mas não em demasia e o vento não se fazia sentir, eis que a nossa protagonista se encontrava deitada numa rede colocada entre duas árvores de fruto, apreciando a sua sombra e desfolhando o livro "As intermitências da Morte" de José Saramago. Subitamente, eis que se aproxima uma familiar sua, que podemos caracterizar como uma nova típica portuguesa, isto é, pouco QI e muita marca vestida.
Familiar: "Então, que estás a fazer?" (como se a resposta não fosse óbvia)
Protagonista: "Estou a ler o último livro do Saramago"
Familiar: "Céus! Como é que consegues?! Ele nem usa pontuação..."
Protagonista: "É um facto, mas não está gramaticalmente incorrecto.E repara, é um prémio Nobel, como tal a sua escrita é mundialmente reconhecida."
Familiar: "Pois...Já sabes daquele último livro do Paulo Coelho?"

Duas conclusões: a primeira é que o povo português não merece os escritores que tem, não falo apenas do Saramago, mas de tantos outros como Luís de Camões, Fernando Pessoa, Eça de Queiroz, Sophia de Mello Breyner, Agustina Bessa-Luís,entre muitos outros.
a segunda, é que por vezes o homicidio justifica-se. Peço desculpa, mas para situações desesperadas, medidas desesperadas.

Tuesday, August 29, 2006

Caso Carlos Sousa

Acredito que o afastamento de Carlos Sousa não tenha sido unânime no Comité Central. Basta ver a posição do Jerónimo de Sousa. No entanto,conhecendo o partido como eu conheço acredito que não tenha sido por ele ser um renovador ou coisa do género.
Ao fazer o que fez o partido sabia que ia perder muito crédito diante dos eleitores portanto terá sido uma decisão muito ponderada e com motivos fortes.
No entanto,acho que as pessoas deviam ficar devidamente esclarecidas, é um direito que possuem e um dever que o partido tem.

Monday, August 14, 2006

Fidel Castro

Não concordo com ditaduras mas não é por isso que deixo de ser comunista.
Admiro Fidel e a força de Cuba,não só pela sua história mas pela maneira como faz frente aos EUA. É admirável que uma ilha tão pequena que ainda há pouco tempo era uma terra de prostituição,charutos e praias (uma colónia para os sobrinhos do Tio Sam) é dos poucos países que diz não a estas guerras imperialistas que matam milhares de inocentes diariamente.
É certo que é uma ditadura, que mandou matar quem se opôs, mas tem um sistema de saúde dos melhores do mundo (onde curam gente de todo o mundo que vai la de propósito), a educação é gratuita fazendo com que a taxa de analfabetismo seja mínima e não há qualquer exploração infantil,combate o desemprego, a corrupção e a prostituição com medidas que estão a ter bons resultados.
É uma ditadura é certo,mas tem condições que mais nenhum país apresenta. O que me leva a questionar o valor da liberdade. Serei eu, cidadã de um país à beira da ruína capaz de trocar a liberdade que custou milhares de vidas,de gente que eu hoje e toda a vida vou admirar, por uma ditadura que apresente boas condições de vida.
Não sei,não sei...

Ainda o Mundial

Uma pessoa ja faz o sacrificio de estudar,não por que não esteja interessada em passar de ano mas por causa das altas temperaturas que se fazem sentir e ainda apanha com ecrans gigantes a passarem jogos de futebol em bibliotecas.
Pensei para mim,uma pessoa que vai para uma biblioteca quando joga a selecção signica que ou não esta minimamente interessada no jogo ou, tem alguma coisa para fazer que implica uma certa concentração e prefere uma biblioteca a uma casa. Será o meu raciocínio incorrecto? Chego à triste conclusão que temos que gostar de futebol, não porque queremos mas porque nos é imposto.
Mais uma coisa,em relação ao scolari,estou à espera que ele um dia venha para as televisões dizer (aproveitando uma frase do regime):"Quem não gosta da selecção não é bom português". Fica o aviso, não desgosto mas também não gosto. E o Scolari e os jogadores não me alimentam,nem em termos de comida nem em ego,por isso vamos acabar com as novelas do fica ou não fica e do gosto muito do mister scolari e acordar!
A melhor maneira de mostrar que sou portuguesa é mostrar a minha língua de poetas e conquistadores e não uma bandeira!

Monday, May 15, 2006

Contradições

Já tentei perceber e não deu.
Fecham-se maternidades mas pretendem dar subsídios para quem tiver filhos.Será que nestes subsídios estão incluídos aquelas coisas primarias como as fraldas,a comida e os estudos? Não me parece...Então se eu quiser ter um filho vou tê-lo onde?Para uma clínica privada?
E se não posso ter filhos porque não tenho sitios para os ter com um mínimo de condições porque é que não posso abortar?
Expliquem isto como se fossemos governados por crianças de 4 anos.

Sunday, April 30, 2006

Será fanatismo ou admiração?

"Eu sou cunhalista com uma vertente comunista"
By: mãe Covas